Amor-próprio. Ou você tem, ou você tem!

Se você, assim como eu, também gosta de ler e acha que livros podem abrir a mente, esse post é para você!

Acredito muito que a leitura pode fortalecer nossos pensamentos. Além de estimular a criatividade, você consegue “viajar para longe” e parece que todos seus problemas ficam em silêncio. Parece loucura mas, a leitura tem sido uma das minha terapias favoritas no combate ao stresse e ansiedade.

Depois de muitas coisas que vivi, descobri que me faltava amor-próprio.
Eu não tenho vergonha nenhuma em admitir isso. ADMITIR é uma das ações mais nobres!
Entendi que a falta de amor-próprio estava me prejudicando social, intelecto e profissionalmente. Era hora de buscar um ajuda.

Como disse no início deste post, eu gosto muito de ler, abre minha minha mente e me ajuda com a ansiedade. Dito e feito! Fui atrás de livros que pudessem me ajudar a desenvolver meu amor-próprio. Livros que despertassem essa vontade e me mostrasse quais são as ações do dia a dia comigo mesma que poderiam me ajudar a melhor emocionalmente.

Eis que me deparo com dois títulos incríveis.  [heart] E sabe o que mais me animou neles (tirando as capas maravilhosas, claro  [choraderir] )? Foi o fato de serem escritos por BLOGUEIRAS.

Essa é a prova real de que a internet tem milhões de talentos escondidos. Que coisa maravilhosa!

Então, sem mais enrolação. Vamos ao livros e suas sinopses:

#Manual do Amor-Próprio – Mica Rocha

“Por que nos sentimos tristes sem motivo? Por que brigamos tanto com o espelho? Por que não nos achamos bonitas “o suficiente”? Por que não conseguimos largar o trabalho com que não nos identificamos mais? Por que a vida do outro parece tão mais interessante do que a nossa? Por que a grama do vizinho é sempre mais verde? Em “Manual do amor próprio”, Mica Rocha, autora de Manual da fossa e Amor(ex), aborda um tema presente na vida de muitas de nós: a baixa autoestima, ou falta de amor próprio, que pode impactar em diversas áreas de nossa vida. Mica usa sua própria história como fio condutor para falar sobre assuntos delicados, como bullying, relacionamentos tóxicos, insatisfação com a vida profissional, e, com a ajuda de uma psicóloga, oferece ferramentas para que a leitora aprenda a se amar e, consequentemente, a ser mais feliz.”

 

Para as Solteiras com Amor (porque todo mundo já foi um dia) – Julia Faria

“Estar solteira pode ser muito divertido e libertador, mas muitas mulheres deparam com diversos tipos de insegurança quando estão sozinhas. Neste seu primeiro livro, a atriz e digital influenciar Julia Faria defende que o foco principal delas nesse momento precisa ser conhecer melhor a si próprias, e não outras pessoas. Só assim conseguirão encontrar suas caras-metades (se assim desejarem). Os delicados textos aqui reunidos ajudam a refletir sobre o que esperar de um relacionamento e a lidar com o fim inevitável de alguns deles. Sempre com bom humor, a autora faz uma necessária investigação do mundo do flerte e seus códigos. Mais do que um livro para quem está (ou esteve) solteira, a estreia de Julia Faria é uma defesa da autoestima feminina. Sem ela, mostra a autora, não existe final feliz.”

Li os livros exatamente na sequência em que coloquei eles no post. Ambos foram um gatilho para eu viajar para dentro de mim, pensar mais no que eu realmente quero, quais minhas vontades, meus desejos e tudo aquilo que esta relacionado a minha vida, ao meu emocional.

Colocar-se em primeiro lugar não é narcisismo, é um ato de coragem. Lembre-se disso!

Eu sempre repito: Se eu não me amar e não saber como eu reajo ao amor, como é que alguém vai fazer isso por mim? Como alguém vai me amar?

Espero que tenha gostado do post. Compartilhe com suas amigas!
Se você indicação de livros nesse mesmo tema, deixe os títulos aqui nos comentários.

Beijinhos,

Você também pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *