Filmes, negócios e vida pessoal.

Sabe quando sua amiga posta algo que você está exatamente pensando naquele segundo?
Pois é, a Flávia (ela já apareceu em outros posts aqui do blog) postou o conteúdo abaixo em Fevereiro e eu, desde então, fiquei pensando, pensando, pensando…

filmes

Sou o tipo de mulher que, desde criança/adolescente assistia filmes em que a protagonista era também uma mulher porém, bem sucedida, com uma vida extremamente corrida e badalada. Assim, descrita como a própria Flávia disse acima.

Eu era vidrada em filmes em que a história mostrava essa atmosfera “business woman” e tudo mais. Os filmes me influenciaram. E muito!

Quando comecei a trabalhar fora, fazia de tudo para que meus dias fossem de agenda cheia. Mil coisas a fazer, compromissos, cursos, reuniões e claro, sempre correndo. Correndo loucamente e com o celular na mão, querendo resolver e-mails e outros problemas através dele.

Resultado: Eu corri em vão. Na verdade, eu corri sem direção!

Além de, assim como a Flávia, descobrir que ter essa vida insana de correria não valia um segundo a pena, eu cheguei antecipadamente ao status de “decepcionada”.

Por que? Porque eu via nesses filmes (e até na própria vida real) pessoas extremamente jovens, com no máximo 25 anos, e com um império conquistado. Ou seja, botei na minha cabeça que, antes dos 25 eu deveria ser uma pessoa reconhecida por um grande feito, ~ser alguém~ na vida…

Mas espera aí! Quem eu quero ser se nem eu sei quem eu sou? – Foi aí que eu acordei e liguei os pontos.

Querer ser alguém e “inventar” ter uma vida corrida, não me levava a nada! Eu precisava, primeiro, reconhecer e conhecer quem eu realmente sou, quais são minhas qualidades, experiências e qual é o meu objetivo.
Aí sim, a partir daí, ajustar a minha vida a isso e caminhar para conquistar algo.

Hoje, sinto que estou com a cabeça no lugar e correndo loucamente na direção certa, pois tracei um objetivo e estou mirando nele.

E sabe o que eu percebi? Que até nos filmes que eu assistia, a personagem também passava por uma fase de “choque de realidade” em que percebia que, aquela correria toda, sem direção, era desnecessária. Coisas passavam pela sua vida pessoal e ela nem percebia. Preservar momentos de alegria, carinho e conversa com pessoas que fazem parte do seu circulo familiar e de amizades é algo muito importante.

Ser girl power, girl boss, business woman e derivados do mesmo é o meu objetivo! Mas, jamais esquecer que por trás dessa pessoa poderosa bate um coração cheio de sentimentos.  [heart]  [pinkheart]  [heart]

girl_boss

Espero que tenha gostado. Não esqueça de comentar!
Beijos,

Você também pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *